Gol tem passagens aéreas a partir de R$ 111,35, o trecho

Com planos de viajar nos próximos meses? Então é bom correr. A Gol lançou uma promoção relâmpago de passagens aéreas com preços a partir de R$ 111,35, o trecho. As ofertas valem para destinos como Curitiba, São Paulo, Ribeirão Preto, Florianópolis, Porto Alegre, Vitória, entre outros.

Mas é bom correr, pois as ofertas terminam às 8h desta quinta-feira (17/10), dentro da promoção MadruGol. As taxas de embarque já estão inclusas no valor.

Os valores promocionais valem para passagens emitidas de ida e volta, com estadia mínima de dois dias ou um sábado, em viagens com no mínimo de 60 dias de antecedência realizadas entre 16 de dezembro e 31 de janeiro de 2020 na tarifa: Família Light (sem direito à bagagem despachada gratuita).

CONHEÇA SEUS DIREITOS EM CASOS DE CANCELAMENTO E ATRASO DE VOOS

Crédito: Divulgação/PMCFVista da praia do Forte, uma das mais badaladas de Cabo Frio (RJ)

Os bilhetes poderão ser adquiridos pelo site (www.voegol.com.br) ou agências de viagem. O pagamento pode ser feito em até 5 vezes sem juros no cartão. A promoção não é válida para compras em lojas de aeroportos. Mais informações e o regulamento completo podem ser acessados no site da Gol.

Fonte: Catraca Livre

Toyota Mirai: conheça o carro elétrico movido a células de hidrogênio

Encontrar alternativas sustentáveis para reduzir ao máximo o uso de combustíveis fósseis é uma necessidade rumo a um futuro mais ecológico. No setor automobilístico, algumas fabricantes importantes se destacam por inovar em tecnologias ligadas ao uso de energia elétrica, como é caso da Tesla, BMW e Nissan. Entretanto, a Toyota está investindo em um sistema diferente daquele usado por essas empresas. Exemplo disso, é o seu atual Toyota Mirai, um sedã elétrico movido a células de hidrogênio.

De início, a palavra “mirai” em japonês significa futuro, o visual do automóvel é condizente com esse aspecto, parecendo uma versão mais futurista do Prius, híbrido da Toyota. Mas como o carro funciona? Por meio de energia gerada no interior dessas células, através de um processo eletroquímico, que consiste na introdução de hidrogênio no ar do oxigênio. Essa reação produz e elimina somente água como resíduo, o que, evidentemente, é muito mais limpo do que os gases poluentes liberados através da combustão gerada nos meios tradicionais.

Como o carro é abastecido

A tarefa de abastecer o Toyota Mirai também não deve complicada. Para isso, basta procurar um posto de hidrogênio da marca mais próximo e seguir com os mesmos procedimentos feitos em situações com carros comuns — basta abrir um compartimento em sua lateral e inserir o bico da mangueira com o combustível. Uma das principais vantagens desse sistema é que o abastecimento leva apenas 5 minutos. No caso de automóveis elétricos, esse tempo ultrapassa os 30 minutos. Com capacidade máxima cheia — de 4,5 quilos de hidrogênio —, o Mirai consegue rodar até 500 quilômetros.

Vantagens em ter um Mirai

Além do importante aspecto ecológico, a fabricante oferece uma espécie de bônus de até 15 mil dólares, com validade de três anos, para que seus compradores possam abastecê-lo. A empresa ainda disponibiliza revisão gratuita durante esse período ou até que sejam atingidos 57 mil quilômetros rodados. O carro, assim como os modelos elétricos comuns, aparenta ser relativamente silencioso, emitindo pouco ou nenhum ruído. Seu interior é equipado com controles inteligentes e modernos. Ainda, tem radar para evitar colisões e um sistema com acesso rápido a um assistente de emergência, que funciona 24 horas.

Desvantagem do carro movido à hidrogênio

A grande desvantagem de ter um Mirai é que a Toyota tem uma restrita rede de postos de bombas de hidrogênio. Esse também é o único meio de abastecê-lo, ao contrário de carros elétricos, como os da Tesla, em que isso pode ser feito até mesmo em casa. O preço para fazer esse abastecimento também é meio alto, sendo em torno de 15 dólares o quilo desse combustível. Em questões de velocidade, o modelo japonês atinge cerca de 100km/h em 9,4 segundos, enquanto os modelos elétricos da companhia de Musk têm esse tempo reduzido para no máximo 3,3 segundos.  

Infelizmente, o Toyota Mirai ainda não pode ser adquirido facilmente, podendo ser encontrado somente em algumas regiões da Europa, Japão e Estados Unidos. Nesse último país, o sedã é vendido por cerca de 60 mil dólares — um pouco mais de 230 mil reais na conversão de hoje. Ainda não se sabe se ele será produzido em larga escala, mas é certo que acena para novos caminhos frente à redução de impactos ambientais.

Fonte: tecmundo.com.br

Novo Hyundai Sonata ganha versão híbrida com captação de energia solar

Marca promete recuperar até 1.300 km por ano apenas com energia do sol

Apresentado no final de março, o novo Hyundai Sonata está prestes a ganhar uma versão híbrida. A fabricante divulga os primeiros detalhes sobre ela, revelando que terá um sistema de recarga das baterias através da energia solar. De acordo com a marca, será possível rodar até 1.300 km por ano usando apenas a energia do sol (por meio de captadores no teto), desde que o modelo fique exposto por 6 horas por dia. Com ele, o sedã tem rendimento médio de 20,1 km/litro.

Galeria: Hyundai Sonata Hybrid 2020

A mecânica é formada por um motor 2.0 de quatro cilindros, abastecido com gasolina, gerando 152 cv e 19,2 kgfm de torque. Trabalha em conjunto com uma unidade elétrica de 52 cv e 20,9 kgfm, gerando uma potência combinada de 195 cv – lembrando que nunca é a soma dos dois motores. A força é transmitida por um câmbio automático de 6 marchas.

Segundo a Hyundai, o Sonata Hybrid tem um rendimento combinado de 20,1 km/litro, quando equipado com as rodas de 16”. Se o cliente escolher as rodas de 17”, o consumo passa para 19,1 km/litro. A fabricante não revelou se a recarga solar pode ser feita com o veículo em movimento, ou se apenas com ele parado, como o Prius PHEV vendido no Japão.

Outra adição é o sistema Active Shift Control (ASC), que controla o motor elétrico para alinhar a velocidade de rotação do motor a combustão e da transmissão, reduzindo o tempo de troca de marchas em 30%. Além de melhorar a aceleração e a economia de combustível, a Hyundai promete que ele aumenta a durabilidade da transmissão ao minimizar a fricção durante as trocas de marcha.

Apesar de ter uma nova geração, o Hyundai Sonata segue bem longe do Brasil. O sedã deixou de ser oferecido por aqui em 2014 e, na época, a Hyundai-CAOA dizia que o Azera acabava canibalizando as vendas do Sonata por conta de suas diferença de preço pequena. Ao invés de investir nele, a importadora preferiu trazer o novo Azera (que já está nas lojas) e o novo Elantra, que desembarca no 2º semestre.

Fonte: motor1.uol.com.br

Ford apresenta novo Taurus com base de Fusion na China

Sedã vai contra os planos globais da marca de investir apenas em SUVs e picapes

A Ford está seguindo com seu plano global de investir apenas em SUVs e picapes, produtos rentáveis em diversos mercados. Na China, a conversa parece ser um pouco diferente, principalmente agora com a apresentação do Taurus 2019, uma reestilização da geração vendida por lá desde 2015.

Fotos: divulgação

A plataforma é a mesma do Fusion e o motor é o 2.0 Ecoboost de 245 cv com um câmbio automático de 6 marchas. As mudanças visuais se concentraram em faróis, lanternas e para-choques, que deixaram o sedã 22 mm mais comprido, chegando aos 5,02 metros de comprimento. A versão de luxo Vignale se diferencia pela grade dianteira e detalhes de acabamentos mais refinados.\

O preço ainda não foi divulgado, mas o Taurus fica posicionado abaixo do Fusion naquele mercado. Vale lembrar que o mercado chinês tem quase vida própria contando com carros e até segmentos que não encontramos no Brasil. A própria Ford vende por lá o novo Escort, um médio que fica abaixo do Focus.

Fonte: motor1.uol.com.br

Novo Toyota Corolla, com versão híbrida, deve aparecer no Brasil em outubro

Japoneses abriram contagem regressiva: sedã estará nas lojas a tempo das vendas de final de ano. Novo RAV4 chega antes.

A Toyota revela de novo, agora no Salão de Detroit, a nova geração do Corolla, incluindo a configuração híbrida. Os japoneses foram direto ao assunto, mesmo apostando na estrela do esportivo Supra: o desafio da montadora com o Corolla 2020 será driblar a queda das vendas globais no segmento de sedãs, que vem encolhendo ante à chegada dos SUVs compactos.

Mas seria a exposição do sedã em Detroit um ensaio para o lançamento do carro no Brasil? Ensaio não, contagem regressiva.

Imagem: Jorge Moraes/UOL

Acredito que outubro deverá ser o mês escolhido para o anúncio do novo Corolla brasileiro. Em novembro, os revendedores garantem o veículo nas lojas com ideia de turbinar as vendas até o Natal. E o RAV4 repaginado chega até junho. Novo Corolla, em sua configuração híbrida, nos EUA: lá, sedã é um compacto de entrada

Novo RAV4

Repaginado, o SUV pioneiro está com passaporte carimbado para o Brasil neste primeiro semestre do ano. A Toyota vai lançar o novo RAV4 até junho, espera que não será longa, afinal: nos dias de hoje, quatro meses passam em um piscar de olhos. A versão híbrida do RAV4 também está na ponta da escolha da montadora, que prevê um ano bom para a indústria.

Imagem: Jorge Moraes/UOL

Linha híbrida

Steve St. Angelo, chefão da Toyota na América Latina, conversou com a reportagem de UOL Carros em Detroit sobre o futuro da eletrificação dos carros da marca. Pelo planejamento do executivo, até 2025 haverá, no mínimo, uma versão híbrida de cada modelo sendo lançado no Brasil.

Lembro que no fim do ano passado, começo de dezembro, no Chile, a empresa já havia se posicionado sobre Hilux e SW4 eletrificados durante o seminário do grupo sobre híbridos e elétricos.

O executivo não quis abrir nada, seja acenando positivamente ou negando, sobre a chegada do novo Corolla em sua variante híbrida. Mas a rede concessionária inteira já comenta sobre a versão Altis ser a escolhida para carregar a dupla de motores.

Ainda questionei qual seria a chance de “popularizar” a eletrificação da linha Toyota através do Yaris, seu projeto mais recente e ambicioso, já que é o compacto com chances reais de briga com os rivais de Chevrolet, Ford, Volkswagem, Fiat, entre outras, no mercado de volume. Steve St. Angelo preferiu tangenciar: “A Toyota trabalha passo a passo, somos mais conservadores mesmo”, afirmou.

Ao insistir sobre novas possibilidades dentro do line-up da fabricante, fui interrompido com um baita sorriso: “Você quer que eu perca meu emprego”, disse, St. Angelo. Cercado por assessores, o executivo estava com um “zíper” na boca.

O Yaris poderá entrar na rota natural do processo de eletrificação mas ainda é cedo para cravar esse projeto. A linha Corolla é a prioridade mesmo. Quanto ao Prius, nenhuma informação sobre o reposicionamento do modelo no mercado. O preço atual praticado — em torno de R$ 130 mil — deverá ficar bem próximo ao do futuro Corolla Altis híbrido, que deverá assumir naturalmente esse bastão.

Fonte: carros.uol.com.br

Volkswagen diz que última geração de motores a combustão será lançada em 2026

O chefe de estratégia da Volkswagen disse na última terça-feira (4) que a principal marca da montadora alemã vai desenvolver a geração final de veículos usando tecnologia a combustão em 2026.

A Volkswagen fez uma mudança estratégica para veículos movidos a bateria após o escândalo envolvendo as emissões de diesel em 2015, o que forçou a montadora a pagar mais de 27 bilhões de euros em multas por esconder níveis de poluição excessiva.

“O ano de 2026 será o último de produção na plataforma de motores a combustão, disse Michael Jost ao Handelsblatt Automotive Summit da sede da Volkswagen, em Wolfsburg.

Um porta-voz confirmou que as declarações de Jost significam que a marca VW se concentrará em veículos elétricos.

A montadora seguirá adaptando os carros a gasolina e diesel para atender padrões ambientais durante a vida útil dos veículos, mas agora está comprometida a passos radicais para combater o aquecimento global, afirmou Jost.

Como forma de cumprir as metas do acordo climático de Paris, a Volkswagen mudou suas referências de desenvolvimento de carros para incluir a meta de radicalmente cortar os níveis de poluição de dióxido de carbono na produção também, segundo o executivo.

Fonte: G1.com

Novo Hyundai Azera – O preferido do Transporte Executivo de Luxo

O Azera sempre citado nos acalorados debates automotivos como uma boa opção de compra para quem procura um carro bem equipado, confortável e potente, o Hyundai Azera quase saiu de linha no Brasil recentemente, mas a sua nova geração já está confirmada para desembarcar por aqui. Segundo a Hyundai CAOA, responsável pela comercialização dos modelos importados da marca sul-coreana no país, o sedã chegará no primeiro trimestre de 2019.

Lançado na Coreia do Sul em 2016, o novo Azera concorrerá no segmento dominado pelo Ford Fusion, no qual também atuam os japoneses Honda Accord e Toyota Camry. Os preços do sedã não foram definidos, mas é possível esperar valores entre R$ 160 mil e R$ 200 mil, considerando as tabelas dos concorrentes.

Entretanto, a Hyundai CAOA confirmou que o sedã será equipado de série com faróis e lanternas de LED, piloto automático adaptativo, frenagem autônoma de emergência, câmeras em 360 graus, detector de ponto cego, nove airbags, rodas de 19 polegadas, partida sem chave, teto solar panorâmico, entre outros.

New Azera - Black Cars Brasil

A motorização do novo Azera é a 3.0 V6 a gasolina de 261 cv de potência, combinada a um câmbio automático de oito marchas e tração dianteira.

Visualmente, o novo Azera segue a atual tendência de sedãs com silhueta inspirada em cupês. O teto baixo na parte traseira e a traseira mais curta dão ao modelo uma aparência mais esportiva. A dianteira segue a atual identidade visual da Hyundai, com grade em formato trapezoidal e faróis espichados. Já a traseira mantém as lanternas interligadas, uma característica das gerações anteriores do sedã.

Conheça os carros disponíveis em nossa frota.

Fonte: carsale.uol.com.br

Fotos: Renan Rodrigues e Divulgação